Rhynchostylis gigantea [Lindley] Ridley

Espécie exótica, ou seja, não é nativa do Brasil. Ocorre em Myanmar, Tailândia, Malásia, Laos, Camboja, Vietnã, Hainan, China, Bornéu e Filipinas, em florestas decíduas e semi-decíduas (Que perdem as folhas) em terras baixas e florestas secas, bem como savanas em altitudes de até 700 metros acima do nível do mar. Planta de tamanho médio do grupo das monopodiais, uma vandácea de tamanho médio com caule robusto. Inflorescência numa haste de 37 centímetros de comprimento densamente florida com flores de 2,5 cm docemente perfumadas que surgem no outono e inverno e duram duas semanas. O colorido das flores vai de vinho, pêssego, rosa, branca pura e cor típica branca com pintas nas pétalas e sépalas e labelo lilás. Necessita de muita luz, rega e fertilizantes durante todo o ano. Apesar de gostar de bastante água não deve ficar encharcada sendo importante a drenagem. Aqui em Pernambuco o cultivo em tronco de sabiá (Mimosa caesalpiniifolia), ou casca de Pinus tem obtido sucesso.

Referências

http://www.orchidspecies.com/rhynchostylugigantea.htm

http://www.aos.org/Default.aspx?id=175

Compilação: Maurício Periquito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *