Cattleya granulosa Lindl.

Espécie endêmica do Brasil que ocorre na Mata Atlântica das regiões Nordeste (Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas) e Sudeste (Espírito Santo).

A planta varia de tamanho podendo-se encontrar plantas com pseudobulbos longos ou curtos contendo de duas a três folhas. Devido ao grande porte da planta pode quebrar se não houver cuidado no transporte. As flores são de tamanho em torno de 12 cm de diâmetro e variam de quantidade entre três e sete ou mais, variando no colorido entre amarelo, verde e vermelho. A época de floração corresponde ao período do terceiro trimestre do ano. A mostra de orquídeas da ASSOPE no mês de outubro homenageia a espécie.

O cultivo necessita de ambiente ventilado e drenagem eficiente. Sol em excesso pode queimar as folhas, mas luminosidade em torno de 50% pode resultar em sucesso. Alguns orquidófilos têm cultivado em troncos de sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) de forma exitosa. Xaxim em cubos em cachepôs ou cestas de madeira também são utilizados.

Está presente na lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção de 2008 do ministério do meio ambiente. Sofre com a coleta e perda de habitat pela especulação imobiliária.

[flgallery id=5 /]

Referências:

Orquídeas da Terra

Barros, F. de, Vinhos, F., Rodrigues, V.T., Barberena, F.F.V.A., Fraga, C.N., Pessoa, E.M. 2012. Orchidaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/FB011335).

Texto: Maurício Periquito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *