Coryanthes speciosa Hook 1831

Coryanthes speciosa Hook. 1831

Planta epífita mirmecófita, isto é, possui estreita relação com formigas na natureza e por um bom tempo entre nós de Pernambuco seu cultivo se mostrava bastante difícil e até se sugeria o uso de ácido fórmico para o sucesso. Não é endêmica do Brasil, também pode ser encontrada em Trinidad & Tobago, Guiana Francesa, Suriname, […]

Zygostates bradei

Zygostates bradei (Schltr.) Garay. 1967

Planta do grupo das microorquídeas com pseudobulbos de 0,6 cm. Endêmica do Brasil, isto é, não ocorre em outro país. Ocorrências confirmadas para os estados de Alagoas, Pernambuco, São Paulo, Paraná e Santa Catarina no domínio fitogeográfico da Mata Atlântica, na vegetação de Floresta Ombrófila que significa sombreada. As microorquídeas possuem uma dificuldade a mais […]

Sarcoglottis grandiflora

Sarcoglottis grandiflora (Hook.) Klotzsch 1842

Planta terrestre com distribuição nos estados brasileiros do Amazonas, Rondônia, Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina, nos domínios fitogeográficos da Amazônia Cerrado e Mata Atlântica na vegetação de campo rupestre, floresta de terra firme, floresta estacional semidecidual […]

IMG_20160702_121549

Reunião Mensal | Julho-16

No último sábado (02/07) houve a nossa reunião mensal, durante o encontro foram tratados assuntos relacionados ao cultivo de orquídeas, bem como, uma pequena exposição com plantas trazidas pelos associados pode ser vista pelos participantes do encontro. Algumas das plantas que estavam expostas na reunião podem serem vistas na galeria abaixo.

Epidendrum flammeum

Epidendrum flammeum E. Pessoa & M. Alves 2012

Planta terrestre ou rupícola, endêmica do Brasil com ocorrência em Alagoas, Paraíba e Pernambuco no domínio fitogeográfico da Caatinga em Vegetação sobre afloramentos rochosos. Por um bom tempo ouvíamos relatos de Epidendrum cinnambarinum amarelo e de Epidendrum fulgens em Pernambuco, mas nunca chegamos a observá-los. Esta espécie é próxima do E. fulgens daí a confusão. […]